Como avaliar o custo-benefício de um hardware

Na hora de comprar qualquer produto e investir em equipamento, seja empresarial ou pessoal, é preciso determinar o custo-benefício de cada item. Isso porque como investimento, o seu dinheiro precisa render de alguma forma, e a pior sensação ao comprar alguma coisa é saber que não foi uma boa compra.

Assim, determinar as principais características de um produto e listá-los, fazer pesquisas de mercado e procurar por opiniões de público é uma possibilidade, mas nesse post será elencada uma outra possibilidade, mais direta.

Inicialmente, é preciso afirmar que as três características-chave para avaliar o custo-benefício de um hardware são:

  • Desempenho;
  • Preço;
  • Assistência.

Abaixo, vamos explicar cada uma com mais detalhes.

Desempenho

Desempenho, ou qualidade, são as características materiais que determinam o quão durável e potente é o hardware em questão. Falando em termos de processamento de imagens, uma tela que tenha limite de resolução em 1280×1024 não terá nitidez tão grande quanto uma de 1600×1200, e essa perde ainda para monitores em Full HD e 4K.

Ou seja, o desempenho do produto impacta diretamente na sua capacidade de uso. Um HD que suporte 500mb não vale tanto quanto um de 1tb, e se precisa de memória para arquivar documentos pesados, a melhor solução é optar pelo HD de 1tb.

Não só o desempenho entra aqui, mas também durabilidade e outros fatores físicos. Entre dois produtos com desempenho similar, a próxima opção deve ser sempre a durabilidade. Isso porque você quer que seu produto dure, por isso, marcas de confiança e com bons review são as mais indicadas.

Uma boa dica é ficar de olho nos comentários dos compradores e acessar fóruns de tecnologia para saber o que as pessoas acham dos hardwares em questão. Além de contar com a opinião do público, é sempre possível achar ali no meio o comentário de um especialista que vai iluminar ainda mais as coisas.

Preço

É geralmente por essa característica que muitas começam a procurar, e é um pensamento certo se o orçamento está curto, mas o desempenho entra em primeiro lugar porque é preciso planejar a longo prazo.

O preço de um hardware pode mudar muito a opinião de um comprador momentos antes da venda, ou até mesmo ser o principal gatilho de interesse, mas a verdade é que de nada adianta procurar um produto simplesmente por ele ser mais barato. São grandes as chances de ficar insatisfeito.

E a mesma coisa serve para hardwares caros no mercado, nem sempre eles entregam tudo que prometem, e podem deixar qualquer comprador desiludido.

Não pense na compra em si para o seu produto, mas sim na necessidade de ter que comprar ou pagar pela manutenção de uma segunda alternativa. O que você ganha pagando duas vezes em um produto ruim?

Junto com o preço de um produto, tem um item essencial na hora de determinar o custo-benefício de um hardware.

Assistência técnica

Acidentes acontecem, e estar preparado para eles é muito importante na hora de evitar gastos desnecessários. Por isso, ter assistência técnica para seu hardware é essencial.

Diferenças de preço de até 20 a 25% são aceitáveis, considerando que qualquer dano em um produto sem assistência implica na compra de um novo. Outra ressalva que merece destaque é saber se existem suportes à empresa em questão na região onde ficará o hardware, seja a de residência do comprador ou a localização da empresa.

Grandes centros quase sempre têm suportes das maiores empresas, mas para cidades menores é preciso ficar atento e saber qual a assistência técnica para seu hardware mais próxima.

E como calcular o custo-benefício do hardware?

Embora determinar individualmente qual o valor de cada hadware seja praticamente impossível dadas as opções do mercado e as demandas de cada comprador, podem ser elencadas algumas considerações. São elas:

  • Desempenho > preço > assistência técnica: não gratuitamente a lista seguiu a mesma linha de raciocínio.
  • Custo-benefício básico pode ser calculado usando a regra: preço/avaliação média do hardware (de três sites diferentes, preferencialmente) em uma escala de dez pontos: uma placa-mãe que custe 300 reais e seja considerada 10 em uma escala de desempenho (média 30) perde para uma placa-mãe de 200 reais com avaliação nove (média 22,2), por exemplo.
  • Assistência técnica impactando em até 20% do preço de mercado de um produto;
  • Desempenho geral mais importante do que o valor: afinal, a capacidade de retornar o investimento e ser durável é o ponto mais importante em um hardware.
Publicado em Hardware, Novidades Marcado com:
Um comentário sobre “Como avaliar o custo-benefício de um hardware
1 Pings/Trackbacks para "Como avaliar o custo-benefício de um hardware"
  1. […] no blog da Mactec já ensinamos como calcular o custo-benefício de um hardware, mas hoje vamos além: vamos explicar como calcular o custo total de propriedade, e o que isso […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*